Acesso

Landscape Post-graduation aims for the students to acquire the following knowleged and competences: (a) To provide a theoretical knowledge and a practical approach to Landscape intervention; (b) To enable the development of capacities to approach the Landscape problematic, in its multiple areas of appreciation and transformation; (c) To promote an in-depth approach to the areas of architecture, territory and landscape; (d) To enable each student to construct their references and work methodologies; (e) To provide skills in research and professional practice in the Landscape area.

APPLY ONLINE HERE


Condições de Acesso

Post-Graduation in Landscape


OBJECTIVOS DO CICLO DE ESTUDOS

A Pós-Graduação em Paisagem tem como objectivo a aquisição pelos alunos dos seguintes conhecimentos e competências comuns:

a) Proporcionar um conhecimento teórico e uma aproximação prática à intervenção na Paisagem;

b) Possibilitar o desenvolvimento de capacidades de abordagem da problemática da Paisagem, nas suas múltiplas áreas de valorização e transformação;

c) Promover uma abordagem aprofundada das áreas da arquitectura, do território e da paisagem;

d) Possibilitar a cada aluno a construção das suas referências e metodologias de trabalho;

e) Adquirir competências ao nível da investigação e da prática profissional na área Paisagem

CONDIÇÕES DE CANDIDATURA

Serão admitidos à candidatura na Pós-Graduação em Paisagem:

a) Titulares do grau de licenciado ou equivalente legal;

b) Titulares de um grau académico superior estrangeiro, conferido na sequência de um 1º ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios de Bolonha por um Estado aderente ao processo;

c) Titulares de um grau académico superior estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado, pelo Conselho Científico da ESAP;

d) Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade para realização da Pós-Graduação, pelo Conselho Científico da ESAP.

CRITÉRIOS DE SERIAÇÃO

Os candidatos que reúnam as condições de natureza académica e curricular expressas nas ‘Condições de Candidatura’, serão selecionados e seriados, tendo em atenção os seguintes critérios:

a) Currículo académico:

- Classificação de licenciatura
- Licenciatura, preferencialmente nas áreas: Arquitectura, Ordenamento do Território e Urbanismo, Arquitectura Paisagista, Agronomia, Arqueologia (da paisagem), Antropologia, História da Arte, Geografia, Sociologia, Engenharia Florestal.

b) Currículo científico

c) Eventual entrevista como critério complementar

4. Densificação dos critérios de avaliação:

4.1.  A apreciação curricular (AC) será feita tendo em conta os seguintes parâmetros:

a) Currículo académico (CA) – ponderando as habilitações académicas exigidas nos seguintes termos:

- classificação final de licenciatura ou equivalente: 10-13 valores………12 valores
- classificação final de licenciatura ou equivalente: 14-16 valores………15 valores
- classificação final de licenciatura ou equivalente: 17-20 valores………18 valores 

b) Currículo científico (CC) – ponderando, numa escala de 0-20 valores, a participação dos candidatos em congressos, seminários, projetos de investigação, número de artigos publicados, prémios e elementos análogos, desde que se trate de actividades na área científica do ciclo de estudos em causa, nos seguintes termos:

- Currículo muito pouco relevante: 10 valores
- Currículo pouco relevante: 12 valores
- Currículo relevante: 14 valores
- Currículo muito relevante: 16 valores
- Currículo extremamente relevante: 18 valores

d) Para além da apreciação curricular, poderá realizar-se uma eventual entrevista individual (EI), sempre que a apreciação dos curricula académico, científico e profissional não seja suficientemente distintiva da posição dos diferentes candidatos, considerando-se para o efeito as seguintes competências e capacidades:

- Capacidade de expressão e reflexão crítica
- Motivação para o ingresso na Pós-Graduação

e) A classificação de cada membro resultará da média aritmética das pontuações atribuídas na escala de 0 a 20 valores a cada um dos dois fatores de apreciação I) e II).

 

4.2. A classificação final será pontuada mediante a aplicação da seguinte fórmula, numa escala de 0 a 20 valores: AC = (CA+CC)/2. Sendo que:

AC = Apreciação curricular

CA = Currículo Académico

CC = Currículo Científico

 

4.3. Havendo necessidade de realizar uma entrevista individual (EI) procede-se à adaptação da fórmula de classificação final, nos seguintes termos: CF = (AC+EI)/2, sendo que:

CF = Classificação Final

AC = Apreciação Curricular (Curricula académico + científico)

EI = Entrevista Individual

 

4.4. As pontuações resultantes do cálculo de médias serão expressas até às centésimas, por arredondamento, em cada método de seleção e ainda na classificação final, por defeito ou por excesso, conforme o valor das milésimas seja inferior ou superior ou igual a cinco.

PRAZOS

 

1ª FASE

Candidaturas: 8 Julho a 14 Agosto 2019

Entrega de toda a documentação: até 30 Agosto 2019

Afixação das listas provisórias de seriação: 3 Setembro 2019

Reclamações: 3 e 4 Setembro 2019

Afixação das listas definitivas de seriação: 5 Setembro 2019

Matrículas: 6 a 13 Setembro 2019

 

2ª FASE (havendo vagas)

Candidaturas: 2 a 13 Setembro 2019

Entrega de toda a documentação: até 13 Setembro 2019

Afixação das listas provisórias de seriação: 16 Setembro 2019

Reclamações: 16 e 17 Setembro 2019

Afixação das listas definitivas de seriação: 18 Setembro 2019

Matrículas: 19 a 24 Setembro 2019

 

3ª FASE (havendo vagas)

Candidaturas: 25 Setembro a 16 Outubro 2019

Entrega de toda a documentação: até 16 Outubro 2019

Afixação das listas provisórias de seriação: 17 Outubro 2019

Reclamações: 17 e 18 Outubro 2019

Afixação das listas definitivas de seriação: 21 Outubro 2019

Matrículas: 22 a 25 Outubro 2019

 

VAGAS  

25 

DOCUMENTAÇÃO

1. Boletim de candidatura (modelo da ESAP);

2. Certificado de habilitações (cópia cotejada pelos serviços) e suplemento ao diploma (caso se aplique);

3. Curriculum Vitae detalhado;

4. Documento de Identificação.

Obs: Caso se trate de uma habilitação estrangeira, o documento deve ser traduzido, por tradutor oficial, sempre que não for emitido em português, inglês, francês ou espanhol e autenticado pela embaixada ou pelo consulado português no país de origem das habilitações ou pela Apostila da Convenção de Haia.

PREÇOS

Propinas e Taxas Escolares da ESAP.

INFORMAÇÕES

A leitura desta página não dispensa a consulta das Normas Regulamentares da Pós-Graduação em Paisagem.