Anterior Seguinte

Seminário #16 - Crise, Crítica e Arte Contemporânea - Nuno Faleiro Rodrigues

Sala de Actos da ESAP 17 Jun 2016 - 16h30

Nuno Faleiro Rodrigues completou o Doutoramento em 2009 no Centre for Research in Modern European Philosophy, Middlesex University, Londres. Desde 2009, leccionou Estudos Críticos em diversas instituições do ensino superior no Reino Unido e é actualmente professor auxiliar da ESAP no Curso de Artes Visuais- Fotografia e Pós-graduação em Arte Contemporânea. Tem desenvolvido investigação nas áreas de teoria e crítica da arte. É investigador integrado do Centro de Estudos Arnaldo Araújo, no grupo de investigação Arte e Estudos Críticos.

 

Crise, Crítica e Arte Contemporânea

Tempos de crise são momentos de abertura a um labor crítico até aí cancelado. Esperar-se-ia que a arte contemporânea, que em parte sobrevive pelo seu ímpeto crítico, reagisse de forma vigorosa ao momento de crise que atravessamos e que tarda em partir. A sua resposta tem sido, contudo, limitada a uma intensificação do reatar de estratagemas pertencentes à chamada arte política sem que se vislumbre a produção de novas formas estéticas, de um corpo de imagens que se inscreva no contexto crítico actual. Sendo a arte contemporânea um campo vasto, múltiplo e contraditório, encontramos, porém, alguns artistas que se distanciam da ‘via política’, procurando construir uma articulação do seu trabalho em torno da imagética da crise. Os exemplos que nos ocorrem são diversificados nas suas propostas artísticas, mas partilham uma estratégia comum: a aproximação à imagem cinematográfica. Não deixa de ser, portanto, sintomático que tal ‘via estética’ se faça pelo diálogo com a arte social do século vinte, o cinema.

 

Times of crisis are moments for the opening of a critical labour previously cancelled. One would expect that contemporary art, which, to some extent, survives through its critical impetus, would react in a vigorous manner to the current, and ever so persistent, moment of crisis. Its response has been, however, limited to a re-intensification of the strategies pertaining to so-called political art, without a hint on a new aesthetic production, of a body of images inscribed in the context of the current critical time. Considering that contemporary art is a multiple, contradictory and broad field, we find, however, some artists that distance themselves from the ‘political strand’, and attempt to construct an articulation of their work around of the imagery of the crisis. The examples that come to our mind are varied in their artistic methods, but share a common strategy: an engagement with the cinematic image. It is, therefore, symptomatic that such ‘aesthetic’ strand is set in motion through the dialogue with the social art of the twentieth century, cinema. 

 

Coordenação: Eduarda Neves

Organização: PGAC | Pós-Graduação em Arte Contemporânea; MRCT | Mestrado em Realização - Cinema e Televisão CEAA | Centro de Estudos Arnaldo Araújo - Grupo de Arte e Estudos Críticos| Licenciatura em Artes Visuais- Fotografia